TNU garante Pensão por Morte para dependentes de segurado falecido antes do benefício.

Com a decisão da Turma Nacional de Uniformização, do último dia 20, viúvas e filhos de falecido com direito adquirido à benefício previdenciário, mesmo que não usufruísse dele, terão o direito de pedir Pensão por Morte.


"É possível a concessão de pensão por morte quando o instituidor, apesar de titular de benefício assistencial, tinha direito adquirido a benefício previdenciário não concedido pela Administração" (Tema 225)


Exemplificando, se a viúva de um segurado do INSS comprovar que antes de falecer o marido possuía o direito adquirido a algum benefício previdenciário, seja qual for e mesmo ainda não concedido, conseguirá receber a Pensão por Morte.


A questão controversa é pelo fato do BPC (Benefício de Prestação Continuada) não gerar direito a pensão por morte aos dependentes com o óbito do instituidor.

Ocorre que, algumas vezes, à administração pública (INSS) concede, de forma equivocada ao segurado o benefício assistencial, quando deveria ser concedido um benefício previdenciário algo comum se tratando de Aposentadoria Especial, não observando sua qualidade de segurado.


Dessa forma, a tese firmada valida ser possível a concessão de pensão por morte aos dependentes do segurado nesta circunstância.

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

ÁREAS DE ATUAÇÃO

  • INSS REGIME GERAL
  • SERVIDOR PÚBLICO
  • MILITAR
  • TRABALHISTA
  • EMPRESARIAL
  • CÁLCULO E PLANEJAMENTO
  • INTERNACIONAL E CONSULTORIA

APOSENTADORIA POR PROFISSÃO

ENDEREÇOS

Av. Áurea Aparecida Braghetto Machado, 185 

City Ribeirão - Ribeirão Preto  |  CEP 14021-450 

Av. Paulista, 726 - CJ 1707 - 17º Andar 
Bela Vista - São Paulo  |  CEP 01310-910 

© 2020 GABARRA SOCIEDADE DE ADVOGADOS